Silvia Costanti/Valor

Popik, do Aqua: “know how” dos fundadores da Rural tem que ser aproveitado

O Aqua Capital, fundo de private equity com foco nos setores de agronegócios e alimentos do país e de outros mercados sul-americanos, acaba de adquirir o controle da Rural Brasil, rede de comercialização de insumos como fertilizantes e defensivos com 12 lojas espalhadas pelos Estados de Goiás, Mato Grosso e Pará e faturamento da ordem de R$ 750 milhões no ano passado.

O valor total do negócio não foi divulgado, mas as partes informaram ao Valor que o Aqua, que passou a deter participação de 60% na Rural Brasil, fará um aporte de R$ 86 milhões na empresa para fomentar seu crescimento. O objetivo é incrementar o faturamento da rede, que já conta com mais de 3 mil clientes, para cerca de R$ 900 milhões já neste ano.

Como normalmente acontece nas companhias que recebem investimentos do Aqua Capital, a gestão da Rural Brasil será compartilhada. Benildo Teles, um dos fundadores da empresa – os outros dois são José Marcolini e Cláudio Diniz – continuará como CEO, mas em uma cúpula reforçada por seis novos profissionais de mercado, dois dos quais ligados ao fundo de private equity.

“A gestão será integrada, e os sócios fundadores continuarão à frente. Esse é um ‘negócio de dono’, por isso temos que aproveitar todo o ‘know how’ que eles têm”, afirmou Sebastian Popik, fundador do Aqua Capital. Com a transação, os sócios originais ficaram com os 40% restantes da rede de insumos com sede em Jataí (GO).

Conforme Popik, entre as diretrizes traçadas para permitir que a Rural Brasil avance no ritmo desejado estão a expansão de sua área geográfica de atuação, o desenvolvimento de serviços capazes de aproximar a companhia de seus clientes, a incorporação de novas tecnologias e a expansão das operações de barter (troca de insumos por produção agrícolas).

Segundo o fundador do Aqua Capital, o barter já representa aproximadamente 20% dos negócios da Rural Brasil, mas há potencial no mercado para que esse percentual aumente de forma expressiva. Grandes multinacionais de sementes e defensivos também têm investido mais na ferramenta, que já atrai fabricantes de máquinas agrícolas.

Criado em 2009 e com sede em São Paulo, o Aqua Capital, que agrega investidores institucionais da América Latina, EUA, Europa e Oriente Médio, deu sua primeira tacada no Brasil em 2011, com a aquisição do controle da Comfrio, empresa paulista de lógística também focada em clientes dos setores de agronegócios e alimentos.

Atualmente, seu portfólio inclui Aminoagro e Dimicom, empresas de fertilizantes especiais foliares que tiveram suas operações integradas recentemente, a Grand Cru, varejista especializada em vinhos, e a GeneSeas, que atua no mercado de tilápia e outros peixes e frutos do mar.

A aposta mais recente do fundo no Brasil foi na Yes, do ramo de aditivos para alimentação animal. Em março, como informou o Valor, anunciou um aporte inicial de R$ 40 milhões na companhia, da qual se tornou sócia majoritária, com o objetivo de triplicar a capacidade de produção.

Fonte : Valor

Compartilhe!