Empresas têm potencial para fornecer máquinas e equipamentos

Empresas têm potencial para fornecer máquinas e equipamentos

SÍLVIO WILLIAMS/JC

Quatro investidores e 70 fabricantes de bens de capital mecânicos que podem fornecer o equivalente a R$ 80 milhões em produtos para indústrias que ganham benefícios do Estado reuniram-se, ontem, com a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamento (Abimaq-RS), na Fiergs. O objetivo é incentivar o aumento do conteúdo local nos empreendimentos. O vice-presidente da Abimaq-RS, Hernane Cauduro, lembrou o caso da Celulose Riograndense, cuja meta inicial era atingir compras locais num total de R$ 650 milhões, mas ao final chegou a R$ 2,6 bilhões, beneficiando os fornecedores gaúchos, gerando empregos, renda e tributos para a economia regional. Foram palestrantes o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Fábio Branco; o presidente da Celulose Riograndense, Walter Lídio Nunes e o presidente da Fundação de Economia e Estatística – FEE, Igor Morais.

Refrigerantes

Será uma verdadeira preocupação com a saúde das crianças ou apenas mais uma jogada de marketing para vender mais? A partir de agosto, Coca-Cola Brasil, Ambev e PepsiCo Brasil vão ajustar o portfólio de bebidas entregues diretamente às cantinas de escolas com crianças de até 12 anos, vendendo apenas água mineral, suco com 100% de fruta, água de coco e bebidas lácteas que atendam a critérios nutricionais específicos.

Lei do Aprendiz

O presidente do Sindasseio, José Antônio Belló, esteve em audiência com o ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira para tratar da Lei do Aprendiz, as cotas para jovens no setor. Belló propôs uma flexibilização da lei que estabelece que todas as empresas de qualquer natureza estão obrigadas a contratar de 5% a 15% do número de seus trabalhadores como aprendizes. O setor do asseio e conservação é um dos maiores empregadores na área de serviços, com mais de 3 mil empresas e 60 mil trabalhadores.

Porto de Pelotas

Começaram as obras de asfaltamento das vias de acesso ao porto de Pelotas, que será revitalizado com o embarque de toras de madeira para a Celulose Riograndense (CMPC), em Guaíba. Quatro ruas, nas imediações do porto, receberão asfalto novo, no valor de R$ 1,25 milhão, após convênio firmado entre a prefeitura e a CMPC: Saturnino Brito, Manduca Rodrigues, Santos Dumont e Conde de Porto Alegre, sob responsabilidade da Construtora Pelotense. O início do transporte de madeira da região Sul para Guaíba está previsto para 1 de outubro, coordenado pela Sagres Agenciamentos Marítimos.

Temerário

O presidente do Videolar-Innova, Lírio Parisotto, chamou a atenção ontem, durante a inauguração de uma nova planta da empresa em Triunfo, pela simplicidade e espontaneidade. Perguntado sobre se investimentos neste momento seria algo temerário, respondeu: “Temerário foi sair da roça, onde trabalhei plantando feijão e arroz, sem adubo”. Apesar de dominar os principais números do empreendimento, questionado sobre uma especificidade da unidade de poliestireno expandido, respondeu: “Nisso, sou médico, não sou engenheiro”.

Danilo Ucha

Painel Econômico

Fonte: Jornal do Comércio

Compartilhe!