Antonio Castillo, conselheiro comercial do Peru

Antonio Castillo, conselheiro comercial do Peru

DANILO UCHA/JN/ESPECIAL JC

O Peru, país onde mais de 70 grandes empresas brasileiras, principalmente da área da construção, já estão operando, está sendo olhado com muita atenção por este setor, que passou a encontrar dificuldades para realizar obras no Brasil. Com uma economia estável, baixa inflação (3,2%) e bom conceito internacional, o governo peruano está oferecendo, neste momento, mais de 200 projetos de infraestrutura, em Lima e nas províncias, e quer atrair empresas brasileiras para construí-los. O País planeja investir US$ 24,6 bilhões em transportes, comunicações, gás e petróleo, energia, saneamento, saúde, portos, aeroportos, hidrovias, ferrovias, habitação, logística, mineração e turismo, conforme informação de Antonio Castillo, conselheiro comercial da Embaixada do Peru, durante palestra na Construction Summit, em São Paulo. Ouvi-o dizer que há dinheiro para as obras e financiamento internacional, faltam empresas especializadas. No setor hospitalar, por exemplo, dispõe-se de US$ 3 bilhões para aplicação imediata e buscam-se empresas que tenham experiência na construção de hospitais.

Soja na Campanha

Bagé realizará, nos dias 4, 5 e 6 de julho, o 3º Simpósio Produção de Soja na Região da Campanha. Rodrigo Móglia, presidente da Associação e Sindicato Rural de Bagé, promotora do evento, comentou que, na safra de soja 2015/2016 na região, em virtude das intensas chuvas, houve quebra de 30%, mas os produtores continuam otimistas com as perspectivas desta lavoura na região, uma atividade nova em áreas antes ocupadas apenas pelo gado.

Boi Gordo

Se você foi um dos milhares de brasileiros que perderam dinheiro com a maior pirâmide financeira construída no Brasil, a das Fazendas Boi Gordo, fique atento. Em agosto, a Lut Leilões fará o leilão da massa falida, principalmente terras. Você não está sozinho. Foram mais de 34 mil lesados, entre os quais, muitos famosos, como o treinador de futebol Felipão, os jogadores Evair e Vampeta, e a atriz Marisa Orth, com um prejuízo total de R$ 3,9 bilhões. Eles acreditaram na promessa incrível de receber 42% de lucro, em 18 meses, com a compra de terneiros que seriam engordados nas famosas fazendas espalhadas por São Paulo e Mato Grosso pelo paulista Paulo Roberto de Andrade, a partir de 1996.

Previr 39 anos

O Previr, primeira empresa gaúcha na área de comercialização antecipada de planos funerários, está completando 39 anos. Fundada em 1977, a empresa do Grupo Cortel passou também a oferecer serviços funerários. Atualmente, o Previr Serviços Funerários é referência no setor e também uma funerária diferenciada.

Alimentação de ovinos

O Departamento de Biologia da Universidade Federal de Pelotas, em parceria com vinícola Guatambu, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e Embrapa, desenvolveu, durante 2015, pesquisa envolvendo a alimentação de ovinos com coprodutos da vinificação – sementes e cascas de uva. Os 40 animais selecionados para amostra são do plantel da Estância Guatambu, de Dom Pedrito, assim como os coprodutos. O melhor resultado veio da avaliação das emissões de metano pelos animais, gás que contribui para o aquecimento global e vem despertando diversas discussões sobre a produção e o consumo de carne.

Mercado de capitais

A 7ª Vara Federal de Porto Alegre deu andamento, nesta semana, às audiências da ação penal que apura crimes contra o mercado de capitais supostamente cometidos por um corretor da bolsa de valores, um dos principais acionistas da Mundial S.A. e uma jornalista. Foram ouvidas testemunhas e os dois réus pelo juiz federal Guilherme Beltrami. Os demandados são acusados de manipular o mercado, a partir de informações privilegiadas, produzindo uma valorização artificial nas ações da fabricante gaúcha de artigos de cutelaria. Conforme o inquérito policial, a empresa teria chegado a valer R$ 1,3 bilhão no mercado de capitais, apesar de ter apresentado lucro de apenas R$ 10 milhões em 2010 e prejuízo de R$ 6,3 milhões no primeiro trimestre de 2011. Só o corretor teria lucrado R$ 2.276.969,00 com a operação.

Danilo Ucha

Painel Econômico

Fonte : Jornal do Comércio

Compartilhe!