Combinação entre preços altos das commodities e baixa cotação dos adubos no mercado externo torna o momento ideal para produtor travar negócios

Os preços dos fertilizantes no mercado externo caíram nos últimos meses e seguem estáveis em junho, aponta a consultoria INTL FC Stone. Esse cenário, somado à alta dos preços das commodities no Brasil, levou à melhor relação de troca entre grãos e fertilizantes da história no país.

Durante entrevista na segunda edição do telejornal Mercado & Companhia, o analista de mercado da consultoria Fabio Rezende disse que, em Mato Grosso, para uma tonelada da fórmula NPK – pacote com os principais adubos utilizados no cultivo de soja – são necessárias 14 sacas do grão. No mesmo período do ano passado, comparou, eram necessárias 21 sacas. Para o milho, a relação de troca está ainda melhor: são necessárias 29 sacas, contra 79 sacas no ano passado.

Para os próximos meses, Rezende aconselha o produtor a travar negócios, apesar da perspectiva de estabilidade. De acordo com a Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda), as entregas de fertilizantes até o momento neste ano ultrapassam 10 milhões de toneladas, alta de 12% em relação a junho de 2015, quando o volume comercializado era de pouco mais de 9 milhões de toneladas.

Larissa Pansani | São Paulo Canal Rural

Pixabay/Divulgação

Fonte: Canal Rural

Compartilhe!