Falta de uma política de preços mínimos e seguro rural fazem os produtores evitarem o cultivo do cereal nesta safra de inverno

 

Os produtores do Paraná vão reduzir a área plantada de trigo neste ano. Segundo dados do Departamento de Agricultura do estado (Deral) a área plantada deve ficar em torno de 1,13 milhão de hectares, 200 mil hectares a menos do que o registrado no ano passado. Na principal região produtora, Ponta Grossa, com mais de 170 mil hectares em 2015, a diminuição deve superar os 10%, estima o Sindicato Rural do município.

O motivo dessa diminuição é o risco que envolve a cultura. Para Gustavo Ribas Netto, presidente do Sindicato de Ponta Grossa, o produtor está evitando prejuízos ao abrir mão do cultivo do cereal. “O produtor está sofrendo com a falta de rentabilidade. Nos últimos anos, ele está trabalhando para apenas empatar [sem lucro e sem prejuízo]. Sem uma política de preços mínimos e seguro rural, o produtor não sente segurança”, justifica Ribas Netto.

A mesma situação ocorre em outra grande região produtora do Paraná: Guarapuava. O presidente do Sindicato Rural, Rodolpho Botelho, a redução deve superar os 25%, caindo de 72,3 mil hectares para 53 mil, segundo o Deral. O motivo, segundo Botelho, é que o produtor não vê uma política de preços mínimos ou um seguro rural que garanta a renda do agricultor. O presidente do Sindicato Rural de Guarapuava acrescenta que a área de trigo deve migrar para culturas como aveia, centeio e cevada.

O Paraná é o maior produtor de trigo do país e sua produção abastece basicamente a indústria moageira estadual, que é muito forte. A produção estimada pelo Deral é de 3,4 milhões de toneladas, mais de 58% da produção nacional.

Fonte:Suelen / Farias

  • Rikardy Tooge | São Paulo
  • Fonte : Canal Rural

Compartilhe!