O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, solicitou ao juízo da 13ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Curitiba informações sobre inquérito que investiga a licitação para a construção da Usina Nuclear Angra 3 e um suposto esquema de corrupção envolvendo a Eletrobrás Termonuclear S/A (Eletronuclear). As informações subsidiarão o ministro no exame do pedido de liminar na Reclamação (RCL) 21802, ajuizada pela defesa do presidente da Andrade Gutierrez, Flávio David Barra, um dos investigados.
 
Barra teve a prisão preventiva decretada pelo juízo de primeiro grau no âmbito das investigações da Operação Lava Jato depois de ter seu nome citado na colaboração premiada de Dalton dos Santos Avancini, ex-presidente da Construtora Camargo Corrêa, que citou também o senador Edison Lobão.
 
Na Reclamação ao STF, os advogados do presidente da Andrade Gutierrez sustentam que senadores da República só podem ser processados e investigados perante o STF, e que o objeto da investigação está relacionado às apurações da Operação Lava Jato. Segundo os advogados, o juízo de primeiro grau estaria usurpando a competência do Supremo e, por isso, pedem liminar para suspender a tramitação do inquérito, com a concessão da liberdade do investigado. Ao final, pedem a declaração da nulidade dos atos e decisões tomadas pelo juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba no inquérito em questão.
 
CF/AD
 

Compartilhe!