Fonte:MMA/Divulgação

Paulo Guilherme Cabral, que ficou seis meses no cargo, teme que governo interino não cumpra metas de assistência e extensão rural

 

Quando completaria um ano desde que foi anunciado como presidente da Agência nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater), Paulo Guilherme Cabral soube pelo Diário Oficial que estava sendo exonerado. Na última quarta-feira, dia 22, ele teve a exoneração publicada no Diário Oficial da União, juntamente com a da diretora-administrativa da entidade, Silvana Canutto. A agência ainda não tem substitutos para os cargos.

Cabral ficou seis meses à frente da Anater  e disse ter sido pego de surpresa. “Fui exonerado sem aviso prévio; estou avaliando se há uma forma de reverter”. Ele contou que, apesar de ter solicitado uma audiência ao secretário especial da Agricultura Familiar, José Roseno, não chegou a ser recebido.

Nesta segunda, dia 27, Paulo Guilherme Cabral, afirmou por telefone à reportagem do Canal Rural que teme pelo futuro da Anater. “O governo interino disse que ia manter as políticas de programas sociais, mas hoje a diretoria da Anater está pela metade, sem substitutos para os exonerados, e não sei se será possível cumprir as metas de assistência técnica e extensão rural”, disse.

  • Fernanda Farias e Rafael Walendorff | Brasília
  • Fonte : Canal Rural

Compartilhe!