Medida assinada pelo governador do estado e pelo ministro da Agricultura visa principalmente ao combate de sementes piratas

 

O governo de Mato Grosso e o Ministério da Agricultura assinaram nesta quarta, dia 29, um acordo que vai ampliar a fiscalização de sementes e mudas no estado. Além dos seis fiscais federais que já atuam no território mato-grossense, outros 95 técnicos do Instituto de Defesa Agropecuária ganharam autonomia para realizar a tarefa com a implementação da medida.

O ministro Blairo Maggi afirmou, na assinatura do acordo, que a semente pirata quase tomou conta de Mato Grosso. “E isso ia tomar conta do Brasil”, disse. O governador Pedro Taques ressalta que o estado é o primeiro a firmar esse termo de descentralização, que permite que algumas atribuições do Ministério da Agricultura passem para o Instituto de Defesa Agripecuária de Mato Grosso (Indea).

A medida, que pretende combater a comercialização de sementes e de outros produtos ilegais, é vista com bons olhos por representantes do setor.  A atuação dos fiscais estaduais vai ganhar agilidade, segundo o presidente da Associação dos Produtores de Sementes do estado, Carlos Augustin. “Estamos multiplicando o número de fiscais que vão poder fazer os serviços que a agropecuária necessita”, disse.

Mas um entrave político pode atrapalhar o sucesso do novo modelo de fiscalização. Os servidores do Indea estão em greve há 24 dias. Eles reivindicam uma recomposição salarial de 11,28%, mas o governo só oferece 7,54%.Taques, no entanto, sustenta que a questão já está resolvida e que os técnicos de nível superior já voltaram às atividades.

O governador o e ministro Maggi também fecharam acordo no valor de R$ 4,5 milhões para utilização do Indea na fiscalização de fronteiras.

Manaíra Lacerda | Brasília

Fonte : Canal Rural

Compartilhe!