Consenso é de que o Brasil já passou pela recessão e voltará a crescer no ano que vem

 

Na noite desta quinta-feira, dia 7, foi aberta a 11º edição do Circuito Aprosoja. O projeto irá percorrer 23 munícipios do estado de Mato Grosso, com o objetivo de levar informação atualizada do setor para os produtores rurais. Realizado pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o evento de lançamento, que aconteceu em Cuiabá (MT), contou com mais de 600 participantes, que puderam acompanhar duas palestras retratando o momento político brasileiro e de Mato Grosso.

Na primeira palestra do evento de abertura, a jornalista Eliane Cantanhêde abordou o tema “Além da Crise: da conjuntura política à gestão rural” e comentou sobre os erros cometidos pela Presidência da República em 2014 e 2015, que levaram a economia à maior recessão desde 1930. Segundo Eliane, o setor agropecuário foi o principal responsável por não deixar o Brasil em uma situação ainda mais alarmante. “Quase todos os setores fecharam em queda: serviços, comercio e indústria. Somente o agronegócio conseguiu trazer um pouco de ar para a economia do país. Mas este setor está preocupado por não saber se terá folego para mais crises”, afirmou ela.

Para o vice-governador do Mato Grosso, Carlos Favaro, o país já caminha para o final da crise. “Acredito que o Brasil sairá da crise em que está e o Mato Grosso irá acompanhar esse movimento. Com certeza temos muito a fazer para colocar o país nos trilhos novamente”, afirmou ele.

Já o ex-presidente do Banco Central e sócio da consultoria Tendências, Gustavo Loyola, ressaltou que o Brasil já saiu da recessão, entretanto a recuperação da economia deve ser lenta nos próximos dois anos. “Temos a perspectiva de melhora a partir de 2017, pensamos em uma alta de 1,2%. Em 2018 a expectativa é de um crescimento na casa dos 2,3% ou seja há sinais de melhoria na economia brasileira”, reiterou Loyola, que foi o segundo palestrante do evento de lançamento com o tema “Cenário econômico brasileiro: crise e perspectivas”.

Por fim, o economista ressaltou a importância do agronegócio brasileiro no futuro da produção de alimentos do mundo, e destacou que a demanda por proteínas irá crescer cada vez mais, puxada principalmente pelas importações chinesas. “O crescimento do consumo interno deles se dará pelo crescimento da renda das famílias chinesas e assim o pais deve aumentar o consumo de proteínas. O Brasil é o grande produtor de proteínas do mundo e podemos crescer muito com isso”, ressaltou Loyola.

  • Daniel Popov
  • Fonte : Canal Rural

Compartilhe!