Em abril, a balança comercial brasileira fechou com saldo de US$ 4,86 bilhões, o maior superávit mensal de 2016. As exportações totais somaram US$ 15,37 bilhões. Desse total, US$ 6,72 bilhões são provenientes do agronegócio, o que representa 43,7% de tudo o que é enviado para o exterior, segundo informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

No mês passado, os destaques nas exportações foram a soja em grãos (US$ 3,53 bilhões em vendas), a carne de frango (US$ 533 milhões) e o farelo de soja (US$ 452 milhões).

A soja vem apresentando alta nos embarques. Entre abril de 2015 e 2016, o valor das exportações de soja em grãos cresceu 39,4%. Os US$ 3,53 bilhões arrecadados com a venda da oleaginosa representaram 23% das exportações brasileiras no mês. Em volume, as vendas externas somaram 10,09 milhões de toneladas, a maior volume em um mês de abril, desde o início da série histórica, em 1997.

O resultado é explicado, em parte, pelo crescimento do preço internacional da oleaginosa, verificado na última semana de abril, chegando a R$ 81,91/saca no último dia 29 de abril. Esse valor foi 26% maior que no mesmo dia de 2015, segundo o indicador Soja ESALQ/BM&FBovespa – Paranaguá.

Com a exceção do farelo de soja, os demais produtos tiveram aumento nas exportações, frente a abril de 2015, o que indica tendência de crescimento nas vendas externas e queda nas importações. No último mês, as exportações cresceram 1,4%. Já as importações retraíram em 28,3%, em parte, por causa da alta cotação do dólar. A moeda americana, que custou em média R$ 3,04, em abril de 2015, teve um valor médio de R$ 3,55 no mesmo mês de 2016.

O real, por sua vez, que vinha perdendo valor frente ao dólar, voltou a se valorizar nos últimos meses. Essa valorização, no entanto, foi compensada pelo aumento nos preços internacionais da soja. Assim, o produtor brasileiro conseguiu manter sua rentabilidade e ampliar a quantidade de suas exportações em 25,7% frente a abril de 2015.

Datagro


Fonte: Famasul

Compartilhe!