Enquanto a maior parte do setor sucroalcooleiro aposta suas fichas no mercado externo por causa do câmbio favorável e da perspectiva de aumento da demanda internacional, é o comércio varejista brasileiro que gera brilho nos olhos da Tereos Guarani Açúcar e Etanol, controlada pelo grupo francês Tereos.

A companhia buscou repaginar sua marca Guarani, agora com nova identidade visual, e criar uma campanha de marketing para se aproximar diretamente dos consumidores.

O varejo brasileiro representa hoje 13% da receita que a Tereos tem com suas vendas de açúcar – uma participação ainda modesta frente os 50% que representam as vendas para o mercado externo.

Jacyr Costa, diretor-geral da Tereos, prefere não estabelecer uma meta para as vendas ou para a participação de mercado, mas demonstra otimismo com relação a um segmento que tem poucos concorrentes com marcas já consolidadas, como a União, do Grupo Camil. “Temos que ver qual aceitação a campanha vai ter e qual resultado terá para direcionar os objetivos”, afirmou o executivo.

Apesar de os brasileiros estarem fazendo mais contas antes da decisão de compra por causa da corrosão da renda, Costa ressaltou que o consumo de açúcar tem resiliência mesmo com a crise. As mudanças, porém, não devem influenciar os preços no varejo, que deverão seguir em forte correlação com o mercado externo.

A artilharia será lançada primeiro sobre o Estado do Rio de Janeiro, onde a Guarani tem 25% de participação de mercado, e depois sobre São Paulo, onde a marca é a preferida por 10% dos consumidores, segundo Costa.

A aposta da Tereos, que consumiu R$ 500 mil em investimentos de marketing e publicidade, também levou à contratação de Gustavo Segantini, ex-Ambev, como gerente de produtos de varejo.

O novo executivo ressalta que a Tereos pretende se diferenciar no mercado tentando engajar o consumidor em decisões de investimento da empresa na área de sustentabilidade.

Por Camila Souza Ramos | De São Paulo

Fonte : Valor

Compartilhe!