Decisão é da 1ª turma da Corte Superior.

Compartilhe!