A Companhia Minuano de Alimentos paralisou as operações do frigorífico de Passo Fundo (RS) e demitiu 300 funcionários da unidade. Os empregados foram comunicados da dispensa na manhã de ontem, quando chegaram para trabalhar, disse o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação na cidade, Miguel Luís dos Santos.

Conforme o sindicalista, a unidade abatia 70 mil a 75 mil frangos por dia para a JBS, e a empresa comunicou ontem à entidade que as operações foram encerradas porque o contrato de prestação de serviços terminou no fim de abril e não foi renovado. Apenas dez pessoas de áreas como manutenção e limpeza permanecerão no local.

“A empresa nos informou que vai procurar outra parceria para reativar o frigorífico”, disse Santos. Ele afirmou que o sindicato não aceita as demissões “em massa” e vai recorrer ao Ministério Público do Trabalho (MPT) para tentar a readmissão dos funcionários. “Temos audiência marcada para hoje [terça-feira] às 10 horas”, disse.

Procurada pelo Valor, a Minuano informou que só emitirá uma nota sobre o assunto hoje. A empresa tem sede em Lajeado (RS), onde abate 190 mil frangos por dia para a BRF, conforme o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação da cidade, Adão Gossmann. “Estamos preocupados porque o contrato com a BRF vence em dezembro”, afirmou Gossmann. Segundo ele, a empresa emprega cerca de 2 mil pessoas na cidade.

A Minuano abateu 59,4 milhões de aves em 2015 e teve receita líquida de R$ 207,3 milhões, incluindo a venda de industrializados, ante R$ 187,2 milhões em 2014. No entanto, teve prejuízo de R$ 11,1 milhões, contra um resultado também negativo de R$ 2,2 milhões no ano anterior.

A empresa é controlada pela Minupar Participações, que encerrou 2015 com patrimônio líquido negativo de R$ 254,3 milhões. No mês passado a BM&FBovespa suspendeu a negociação das ações da controladora porque a cotação dos papéis caiu abaixo de R$ 1 por unidade.

Por Sérgio Ruck Bueno | De Porto Alegre
Fonte : Valor

Compartilhe!