Previsão do USDA para Flórida subiu, mas safra ainda será menor que em 2014/15
A safra de laranja na região formada por São Paulo, Triângulo Mineiro e sudoeste de Minas deverá somar 245,8 milhões de caixas de 40,8 quilos na safra 2016/17, conforme a primeira estimativa do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), mantido por produtores de laranja e pelas grandes indústrias exportadoras de suco. Se confirmado, o volume será 18,3% menor que o calculado para o ciclo 2015/16 (300,7 milhões).

Segundo Juliano Ayres, gerente do Fundecitrus, a queda prevista é consequência das altas temperaturas registradas na época da florada, que causaram a queda de flores e chumbinhos (frutinhos), e também tem relação com a redução do parque citrícola na região em questão

Conforme as estatísticas do fundo, esse parque “encolheu” 27,8 mil hectares (6%) no último ano, para 416 mil hectares. Dessa área, que inclui todas as variedades, 403 mil hectares terão seus frutos destinados a processamento nas indústrias. “Somente no ano passado, tivemos 6,5 mil hectares abandonados pela incidência de greening, principalmente no sul de São Paulo”, diz. Na região, a incidência da doença fúngica ficou em 40%.

Nessa área de plantio, o Fundecitrus estima que existam 192 milhões de árvores – 175,6 milhões delas produtivas. Elas deverão produzir 1,4 caixa da fruta, em média. Na temporada 2015/16, a produtividade média ficou em 1,73 caixa por árvore. Por hectare, o Fundecitrus calcula que a produtividade média será de 636 caixas, ante as 745 caixas por hectare de 2015/16.

“As previsões meteorológicas indicam que a florada principal será a primeira (78% do total) e que o inverno será seco e frio, portanto a as frutas serão menores”, disse Ayres. No último ciclo, a florada principal foi a segunda e o El Niño provocou chuvas acima da média. A taxa de estimativa de queda de frutos por árvore está em 15% na comparação com 17% em 2015/16.

Também ontem, o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) elevou em 6,7% sua previsão para a safra 2015/16 de laranja na Flórida – que detém o segundo maior pomar de citros do mundo, atrás do compreendido por São Paulo e Minas Gerais -, para 81,1 milhões de caixas. Com esse ajuste, a safra total de laranja nos EUA passou a ser projetada pelo órgão em 135,2 milhões de caixas, aumento de 3,9% em relação à projeção de abril. Nos Estados Unidos, a safra de laranja vai de outubro de um ano a setembro do seguinte; no Brasil, de julho a junho.

Por Fernanda Pressinott e Mariana Caetano | De São Paulo
Fonte: Valor

Compartilhe!